quinta-feira, 22 de novembro de 2012

CLUBE DE LEITURA

O que deve ser feito quando queremos criar um CLUBE DE LEITURA?
* Organização do clube.
* Organização do "Canto de Leitura".
* Leitura de contos.
* Contextualização da obra e do autor.
* Trabalho com estratégias de leitura.
* Trabalho com a compreensão de textos.
* Rodas de conversa sobre os livros lidos.
* Registro de impressões sobre os livros lidos e de ficha controle.

TEATRO
* Língua Portuguesa e Arte.
* Construção de cenas - adaptação ou criação de novas narrativas.
* Apresentação de cenas.
* Leitura de cenas.
* Elaboração de roteiros.
* Reapresentação de cenas.
* Reescrita de roteiros

SISTEMATIZAÇÃO de aprendizados:
* O que fizemos?
* Por que fizemos?
* Como fizemos?

ESCRITA DO DIÁRIO DE BORDO
* Reflexões sobre a experiência.
* Dramatização final de cenas - Produto final.





HÁBITOS E PRÁTICAS DE LEITURA

OBJETIVOS:
* Conhecer os hábitos de leitura da comunidade escolar;
* Utilizar questionários referentes as hábitos de leitura a serem questionados;
* Definir estratégias para implementar boas práticas de leitura.

INDICAÇÕES METODOLÓGICAS:
Alunos que frequentam o(a) a série __________
do Ensino ________________________,
na escola _________________________,
oriundos do(s) bairro(s) ______________,
município de _______________________,
estado ___________________________ .
.
* Total de inqueridos: ________
* Período de realização: _____/ _____/ ______.

QUESTIONÁRIO:
1. Costuma ler livros?
    (    ) Sim     (    )  Não

2. Por que lê livros?
    (    ) Dever escolar.
    (    ) Dever profissional.
    (    ) Porque gosto.

3. Que tipo de livros lê?
    (    ) Livros escolares.
    (    ) Livros técnicos (dicionários, enciclopédias).
    (    ) Romances.
    (    ) Poesias.
    (    ) Outros.

4. Quantos livros lê por ano?
    (    ) 1 a 2 livros.
    (    ) 3 a 5 livros.
    (    ) mais de 5 livros.

5. Quantas horas lê por semana?
    (    ) Menos de 30 minutos.
    (    ) De 30 minutos à 1 hora.
    (    ) De 1 hora à  2 horas.
    (    ) Mais de 2 horas.

6. Está lendo algum livro?
    (    ) Sim.
    (    ) Não.

7. Há quanto tempo acabou de ler o último livro?
    (    ) Há menos de 1 mês.
    (    ) Há menos de 1 ano.
    (    ) Há mais de 1 ano.

8. Costuma ler jornais e revistas?
    (    ) Sim.    
    (    ) Não.

9. Costuma comprar livros?
    (     ) Sim.
    (     ) Não.

10. Quantos livros compra por ano?
      (    ) 1 a 5 livros.
       (    ) 5 a 10 livros.
       (    ) mais de 10 livros.
       (    ) Nenhum.

11. Tem livros em casa?
      (    ) Sim.
      (    ) Não.

12. Que livros tem em casa?
      (    ) Escolares.
      (    ) Técnico.
      (    ) Ciências humanas.
      (    ) Literatura.
      (    ) Enciclopédias / Dicionários.
      (    ) Poesias.
      (    ) Artes.
      (    ) Infanto-juvenis.
      (    ) Outros.

13. Quantos livros tem em casa?
      (    ) 1 a 5 livros.
      (    ) 5 a 20 livros.
   
ESTRATÉGIAS:

* Face aos resultados verificados podemos afirmar que é urgente conquistar novos leitores.
* Realizar feiras do livro.
* Promover encontros com escritores, declamadores, contadores de histórias, ilustradores, realizadores de cinema, outras figuras de prestigio nacional.
* Livros "fixes"- on line.
* "Continua a história..."









 



domingo, 24 de junho de 2012

QUADRILHA


Existem diversas danças, mas a mais conhecida é a quadrilha.
A quadrilha é uma dança feita para agradecer a boa colheita e homenagear São João, Santo Antônio e São Pedro. Nela, um marcador comanda a dança. Os comandos devem ser seguidos e respeitados.
Esta dança típica chegou ao Brasil durante o período regencial e fez grande sucesso na corte do Rio de Janeiro, caindo depois no gosto popular. A sanfona, a vila, o violão e o triângulo são instrumentos muito utilizados para acompanhar a quadrilha.
A dança começa com os casais posicionados frente a frente. Os cavalheiros cumprimentam as damas e em seguida, as damas cumprimentam os cavalheiros. Eles trocam de lado, em seguida o cavalheiro busca a dama e começa o grande passeio pela roça. Esse passeio apresenta diversas interferências ditas pelo marcador, como "olha a chuva, "olha a cobra". Ao final, o casal despede-se.


quarta-feira, 9 de maio de 2012

MATEMÁTICA – DESCRITORES DE DESEMPENHO

Tema I. Espaço e Forma

D1 – Identificar a localização/movimentação de objetos em mapas, croquis e outras representações gráficas.

D2 – Identificar propriedades comuns e diferenças entre poliedros e corpos redondos, relacionando figuras tridimensionais com suas planificações.

D3 – Identificar propriedades comuns entre figuras bidimensionais pelo número de lados e pelos tipos e ângulos.

D4 – Identificar quadriláteros observando as relações entre seus lados (paralelos, congruentes, perpendiculares).

D5 – Reconhecer a conservação ou modificação de medidas dos lados, do perímetro, da área em ampliação e/ou redução de figuras poligonais usando malhas quadriculadas.

Tema II. Grandezas e Medidas

D6 – Estimar a medida de grandeza utilizando as medidas convencionais ou não.

D7 – Resolver problemas significativos utilizando unidades de medida padronizadas como km/m/cm/mm, kg/g/mg/ml.

D8 – Estabelecer relações entre unidades de medida de tempo.

D9 – Estabelecer relações entre o horário de início e término e/ou o intervalo da duração de um evento ou acontecimento.

D10 – Num problema, estabelecer trocas entre cédulas e moedas do sistema monetário brasileiro, em função de seus valores.

D11 – Resolver problema envolvendo o cálculo do perímetro de figuras planas, desenhadas em malhas quadriculadas.

D12 – Resolver problemas envolvendo o cálculo ou estimativa de áreas de figuras planas, desenhadas em malhas quadriculadas.

Tema III. Números e Operações / Álgebra e Funções

D13 – Reconhecer e utilizar características do sistema de numeração decimal, tais como agrupamentos e trocas na base 10 e princípio do valor posicional.

D14 – Identificar a localização de números naturais na reta numérica.

D15 – Reconhecer a decomposição de números naturais nas suas diversas ordens.

D16 – Reconhecer a composição e a decomposição de números naturais em sua forma polinomial.

D17 – Calcular o resultado de uma adição ou subtração de números naturais.

D18 – Calcular o resultado de uma multiplicação ou divisão de números naturais.

D19 – Resolver problema com números naturais, envolvendo diferentes significados da adição ou subtração: juntar, alteração de um estado inicial (positiva ou negativa), comparação e mais de uma transformação (positiva ou negativa).

D20 – Resolver problema com números naturais, envolvendo diferentes significados da multiplicação ou divisão: multiplicação comparativa, ideia de proporcionalidade, configuração retangular e combinatória.

D21 – Identificar diferentes representações de um mesmo número racional.

D22 – Identificar a localização de números racionais representados na forma decimal na reta numérica.

D23 – Resolver problema a escrita decimal de cédulas e moedas do Sistema Monetário Brasileiro.

D24 – Identificar fração como representação que pode estar associada a diferentes significados.

D25 – Resolver problemas com números racionais expressos na forma decimal, envolvendo diferentes significados.

D26 – Resolver problema envolvendo noções de porcentagem (25%, 50%, 100%).


Tema IV. Tratamento da Informação

D27 – Ler informações e dados apresentados em tabela.

D28 – Ler informações e dados apresentados em gráficos de colunas.


Fonte: http://portal.mec.gov.br/dmdocuments/prova%20brasil_matriz2.pdf

terça-feira, 8 de maio de 2012

DESCRITORES LÍNGUA PORTUGUESA


D1 – Localizar informações explícitas no texto.

D2 – Estabelecer relações entre partes de um texto, identificando repetições ou substituições que contribuem para continuidade dele.

D3 – Inferir o sentido de uma palavra ou expressão.

D4 – Inferir uma informação implícita em um texto.

D5 – Interpretar texto com auxílio de material gráfico diverso (propagandas, quadrinhos, foto etc).

D6 – Identificar tema de um texto.

D7 – Identificar o conflito gerador do enredo e os elementos que constroem a narrativa.

D8 – Estabelecer relação de causa e consequência entre partes e elementos do texto.

D9 – Identificar a finalidade de textos de diferentes gêneros.

D10 – Identificar as marcas linguísticas que evidenciam o locutor e o interlocutor de um texto.

D11 – Distinguir um fato da opinião relativa deste fato.

D12 – Estabelecer relações lógico-discursivas presentes no texto, marcadas por conjunções, advérbios etc.

D13 – Identificar efeitos de ironia ou humor em textos variados.

D14 – Identificar o efeito de sentido decorrente do uso da pontuação e outras notações.

D15 – Reconhecer diferentes formas de tratar a informação na comparação de textos que tratam do mesmo tema, em função das condições em que ele foi produzido e daquelas  em que será recebido.

Fonte: http://dmdocumentos/prova%20brasil­_matriz2.pdf 

   
  



quarta-feira, 18 de abril de 2012

PAULO FREIRE É DECLARADO O PATRONO DA EDUCAÇÃO BRASILEIRA

O educador e filósofo pernambucano Paulo Freire (1921-1997) passa a ser reconhecido como patrono da educação brasileira. É o que estabelece a Lei nº 12.612, do dia 13 último. Freire dedicou grande parte de sua vida à alfabetização e à educação da população pobre.

Oriundo de uma família de classe média, Freire conviveu com a pobreza e a fome na infância, durante a depressão de 1929. A experiência o ajudou a pensar nos pobres e o levou, mais tarde, a elaborar seu revolucionário método de ensino. Em 1943, chegou à Faculdade de Direito da Universidade de Recife, hoje Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Durante o curso, teve contato com conteúdos de filosofia da educação. Ao optar por lecionar língua portuguesa, deixou de lado a profissão de advogado. Em 1946, assumiu a direção do Departamento de Educação e Cultura do Serviço Social de Pernambuco, onde passou a trabalhar com pobres analfabetos.

Em 1961, como diretor do Departamento de Extensões Culturais da Universidade de Recife, montou uma equipe para alfabetizar 300 cortadores de cana em 45 dias. As experiências bem-sucedidas com alfabetização foram reconhecidas em 1964 pelo governo de João Goulart, que aprovou a multiplicação das experiências no Plano Nacional de Alfabetização. No entanto, poucos meses após a implantação, o plano foi vetado pelos militares, que assumiram o governo. Freire foi preso e expulso do país. Em 16 anos de exílio, passou por Chile, Suíça, Estados Unidos e Inglaterra e difundiu sua metodologia de ensino em países africanos de colonização portuguesa, como Guiné-Bissau e Cabo Verde.

Em sua obra mais conhecida, A Pedagogia do Oprimido, o educador propõe um novo modelo de ensino, com uma dinâmica menos vertical entre professores e alunos e a sociedade na qual se inserem. O livro foi traduzido em mais de 40 idiomas.

Visão — Para a diretora de currículos e educação integral do Ministério da Educação, Jaqueline Moll, o Brasil presta uma homenagem a Paulo Freire por sua obra pela educação brasileira. “Paulo Freire é a figura de maior destaque na educação brasileira contemporânea, pelo olhar novo que ele constrói sobre o processo educativo”, afirma. “Ele tem ajudado muitos países no mundo a repensar a visão vertical que temos nas salas de aula, de um professor que sabe tudo e do estudante que é uma tábula rasa e nada sabe.” 

“Uma homenagem mais que justa”, comemora Leocádia Inês Schoeffen, secretária municipal de Educação de São Leopoldo (RS), cidade a 50 km de Porto Alegre. Todas as 35 escolas públicas do município já aderiram ao Programa Mais Educação, que amplia a jornada diária para o mínimo de sete horas. “O Mais Educação, do ponto de vista da educação popular, não é restrito ao ambiente escolar, mas articula-se com a comunidade. Assim, há afinidade grande desse programa com o que o Paulo Freire defendia, que é fazer a leitura do mundo e a inserção do educando no seu meio, capacitando-o para que seja agente do seu momento histórico”, diz.

Reconhecido internacionalmente, Paulo Freire recebeu inúmeros títulos e importantes premiações. No portal Domínio Público, do MEC, pode-se baixar gratuitamente o livro Paulo Freire, de Celso de Rui Beisiegel, uma coletânea de análises de seus textos mais importantes.  

Lei nº 12.612, de 13 de abril de 2012 foi publicada no Diário Oficial da União desta segunda-feira, 16, Seção 1 página 1. 
Diego Rocha